• Roberto Kirizawa

QUANDO MENOS É MAIS

Tempo de leitura: 6 minutos



Hoje quero te contar porquê escolhi nome Quando Menos é Mais para este site.

Quando fui escolher o nome tive inúmeras ideias.

Várias palavras que poderiam remeter a ideia do minimalismo e do conceito de uma vida mais leve, com significado.

Passei vários dias, juntamente com minha esposa pensando sobre isso.

Estava quase lá

Uma frase que tem grande impacto neste meio, estava ganhando nossa preferência, que é “menos é mais”.

Então logo pensei que seria uma boa opção.

Porém, como não estava sentindo aquela certeza no coração ainda, resolvi continuar pensando mais um pouco.

Finalmente uma ideia chamou a atenção

Uma coisa que percebo é que temos um grande problema de polarizar demais todos os tipos de assunto.

E isso também acontece quando falamos de minimalismo.

Existe a turma que acha que uma pessoa minimalista não pode ter nada.

Não pode ter uma casa aconchegante, e nenhuma posse.

Por isso, pensando sobre isso, chegamos a conclusão de que ao invés de dar o nome “menos é mais” seria mais interessante chamá-lo de Quando Menos é Mais.

Quando Menos é Mais

Simplesmente colocando o advérbio quando no início da frase poderíamos passar a ideia de que nem tudo está totalmente certo ou errado.

E a alternativa correta é uma coisa que diz respeito apenas a pessoa que faz a escolha.

Assim, haveria a possibilidade das pessoas entenderem que além do preto e do branco também existem as tonalidades de cinza.

Para conseguir escolher de forma mais coerente possível é necessário entender todo o contexto da situação.

Como saber qual é a melhor alternativa

Lembrando que cada um é um indivíduo.

Ou seja, possui sua individualidade.

Vários fatores devem entrar neste raciocínio:

  1. Gosto da pessoa;

  2. Objetivos;

  3. Momento de vida;

  4. Prioridades;

  5. Valores.

É importante saber que o estilo de vida minimalista foi criado para trazer liberdade.

Liberdade de poder viver e escolher sem as pressões do senso comum.

E não o contrário.

Quando menos é mais nas Roupas

Um ponto bastante comentado quando falamos de minimalismo são as roupas.

Nesta hora temos alguns conceitos legais como armário cápsula, por exemplo.

Porém não é por isso que todas as pessoas têm que seguir a mesma ideia, como se isso fosse uma norma rígida, que não pode ser desviada.

Por exemplo, eu que optei por começar a comprar camisas em cores neutras de um tempo para cá, posso muito bem continuar usando camisas antigas de outras cores que ainda tenho em meu armário.

Da mesma forma, apesar de algumas pessoas pregarem que o minimalista deve ter apenas 3 camisas, eu prefiro ter 7.

Para mim, ter a quantidade de camisas e calças necessárias para conseguir lavar as roupas apenas 1 vez por semana é o ideal.

Eu conheço 1 pessoa minimalista que possui 24 camisas.

Inclusive muitos disseram que ele não era minimalista por isso.

Acredito que até você, que está lendo este artigo, também ache isso.

Mas ao explicar que ele prefere lavar suas roupas a cada 15 dias e todos os dias da semana ele frequenta a academia aí esta informação torna-se compreensível.

Remédio x veneno

É bem como a ideia da diferença entre o remédio e o veneno.

O que diferencia ambos é a dose!

Quando menos é mais no Japão

Aqui no Japão, país onde estou vivendo no momento, existe um povoado localizado em Okinawa que é considerado um dos que mais vive no mundo.

E uma das coisas que é considerado como sendo um dos fatores das pessoas deste povoado viver por tanto tempo, de forma saudável é a forma como se alimentam.

Um dos provérbios mais populares em Okinawa é “hara hachibu”

O significado seria algo tipo barriga a 80% de sua capacidade.

E isto é dito antes e depois das refeições.

A sabedoria ancestral recomenda não comer até ficar cheio.

Por isso, os nativos não se empanturram, obrigando o corpo se desgastar com uma longa digestão.

Eles param de comer quando sentem que seu estômago está a 80% de sua capacidade!

E desta forma recebemos mais uma lição de que o ideal não é pouco nem muito.

Mas o suficiente.

Ou seja, devemos nos indagar Quando Menos é Mais.

Buda

É como Buda mesmo disse:

Siga o caminho do meio.

Nem tanto ao céu, nem tanto a terra.

O fato é que não devemos ser inflexíveis demais.

Vinho

Eu mesmo adoro tomar uma taça de vinho.

Pela medicina atual, tomar uma taça de vinho ajuda o coração e não traz malefícios para a saúde.

Porém, em caso de exagero, podemos ter graves problemas médicos.

Quando menos é mais no Cinema

Um dos meus passatempos prediletos é assistir a um bom filme.

Acho que, como os livros, somos instigados pelo enredo da história a realizar diversas reflexões que podem nos auxiliar a nos entender melhor.

E uma coisa que acho interessante é a função de montador dos filmes.

Esta é uma função que a maioria das pessoas desconhecem.

Inclusive, talvez você também nunca tenha ouvido falar sobre ela.

Mas saiba, inclusive, que é dado Oscar para os profissionais que exercem esta função.

São as pessoas responsáveis por editar, cortar e eliminar tudo que for trivial ou irrelevante do filme.

Desta forma, podemos focar no que realmente é importante para entender a trama da história.

Assim, podemos considerar que esta é uma arte minimalista, certo?

Mas, é importante que o profissional montador não corte demais ou o que é essencial.

Senão poderemos não conseguir compreender a mensagem que está sendo passado em certas partes do filme.

Ou até no filme como um todo.

Ou seja, mais uma vez é necessário entender Quando Menos é Mais.

Excesso de informação

Acredito que atualmente enfrentamos o mal do século, que é o excesso de informação.

Somos bombardeados por todos os lados com todos os tipos de informações.

E ficamos indefesos, à mercê dos diferentes tipos de mídias que fazem isto conosco.

Porém temos que entender que é importante sair deste ciclo vicioso.

Mas também não podemos deixar de consumir informações que podem ser relevantes para nós.

Ou seja, devemos tomar cuidado em não querer consumir todas as informações que chegam até nós.

Entretanto, não devemos parar de acessar as informações totalmente e ficar na ignorância.

Por mais uma vez percebi que era necessário entender Quando Menos é Mais.

Conclusão

E nesse momento ficou claro para mim qual deveria ser o nome do site.

É claro:

Quando Menos é Mais

Se você achou que este conteúdo teve valor para você e pode ajudar alguém que você conheça, compartilhe-o como demonstração de carinho.

Muito obrigado e até a próxima.


#minimalismo #quandomenosémais

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo