• Roberto Kirizawa

Por que é tão fácil fazer coisas desnecessárias e tão difícil o contrário

Tempo de leitura: 5 minutos


Você já percebeu como é fácil perder tempo com:

  1. Redes sociais;

  2. Games;

  3. Jogos de azar;

  4. E outras coisas assim?

É fácil conseguir ficar 1, 2 até várias horas seguidas fazendo estas coisas. Mas se for para manter a concentração em atividades como:

  1. Estudo;

  2. Planejamento;

  3. Organização;

  4. Projetos;

  5. Ou até mesmo exercícios físicos, Aí a coisa fica bem diferente.

Por que isto acontece

E a grande dúvida é por que isto acontece com a gente. Esta explicação é dada pelo funcionamento biológico do nosso corpo. Mais especificamente pelo hormônio chamado dopamina. Ele é um hormônio neurotransmissor que trabalha em parceria com outros hormônios. A dopamina atua na regulação motora dos movimentos voluntários, no humor, na memória, na atenção e principalmente nas sensações de prazer. Então, toda atividade que faz nosso corpo liberar mais dopamina acaba gerando mais prazer.

Como ficamos viciados em maus hábitos

Quando nosso cérebro percebe que uma atividade gera um alto grau de dopamina, ele guarda esta informação. E na próxima vez em que você estiver prestes a fazer esta mesma atividade novamente, seu corpo descarregará uma nova dose de dopamina, mesmo antes de fazê-la. Este efeito de antecipação acontece como uma forma de estimular a continuar cada vez mais com esta atividade. Até que ela se torne um hábito. Ou eventualmente um vício.

O que acontece com os bons hábitos

Conforme vários maus hábitos vão se estabelecendo na vida através deste ciclo vicioso, os bons hábitos vão ficando cada vez mais difíceis de se manter. Isto acontece porque os bons hábitos geralmente não geram cargas tão elevadas de dopamina no nosso corpo. E como nosso cérebro fica acostumado a receber grandes quantidades deste hormônio com determinadas atividades, faz com que se fique com mais vontade continuar praticando-as cada vez mais vezes.

Exemplo prático

Quando pensamos em comer algo que gostamos, já geramos dopamina por antecipação. Por isso, muitas pessoas diabéticas, que não podem comer doce, mesmo sabendo que isso irá arruinar com sua saúde, não consegue deixar de comer estas guloseimas.

Muitas empresas do ramo de entretenimento, percebendo isto, passou a se aproveitar deste mecanismo natural de nosso cérebro para literalmente viciar as pessoas com o produto ou serviço que oferece.

É o caso de:

  1. Casinos, com jogos de azar;

  2. Máquinas caça níqueis;

  3. Redes sociais;

  4. Vídeo games;

  5. Indústria da alimentação;

  6. E até a indústria da pornográfica.

Inclusive, é por isso, muitas pessoas não conseguem ficar muito tempo sem verificar seu smartphone. Elas sentem a necessidade verificar se existem comentários, curtidas ou qualquer outro tipo de interação nos posts que criou.

Como lidar com isso

Para conseguir lidar com isto é importante ter consciência de como nosso cérebro funciona. A partir disto podemos criar estratégias para ter uma vida mais saudável, sob nosso próprio controle.

Para diminuir a necessidade do nosso cérebro por altas cargas de dopamina, podemos fazer um detox periodicamente. Talvez ficar 1 vez por semana sem realizar as atividades que você identifique como sendo maléficas para sua saúde, produtividade e autodesenvolvimento.

Sei que neste dia você tenderá a ficar entediado. Mas preste atenção em como você e seu corpo reagirão. Então você conseguirá perceber qual é o grau de vício que está tendo por determinadas atividades. Utilize o tempo livre que irá aparecer, nos momentos em que você costumava fazer estas atividades para criar novos bons hábitos como:

  1. Caminhar;

  2. Ler;

  3. Estudar;

  4. Meditar.

A ideia é o seguinte: Imagine que você comece a comer com frequência em ótimos restaurantes. Quando for comer em casa um arroz com ovo frito não terá prazer algum em comer este prato. Mas, pelo contrário, quando passar fome, este mesmo prato de arroz com ovo frito será um banquete. Entendeu onde quero chegar?

Usando a dopamina a seu favor

Agora, após entender todo este processo, vamos utilizá-lo a nosso favor. Primeiramente identifique as atividades que gostaria de fazer com mais frequência.

  1. Limpar;

  2. Organizar;

  3. Fazer exercícios físicos;

  4. Estudar;

  5. Aprender uma nova língua;

  6. E assim por diante.

Então, você determinará que irá ser merecedor de realizar uma atividade que gosta, tipo usar as redes sociais somente após ter efetuado uma das atividades que elencou.

Eu costumo fazer o seguinte: Divido meu dia em 3 partes. Parte da manhã, da tarde e da noite. Estabeleço minhas atividades que quero cumprir em cada período do dia. Quando eu consigo cumprir as atividades da manhã eu me dou o direito de relaxar fazendo algo que gosto por 30 minutos. Da mesma forma faço com as outras partes do dia. Desta forma, meu dia é super produtivo e eu fico com a sensação gostosa de dever cumprido.

Agora, acho que você também pode aproveitar-se deste conhecimento para tornar-se uma pessoa mais saudável e produtiva.

 

Programa Quando Menos é Mais

Caso você tenha interesse de obter todos estes benefícios, utilizando os conceitos do minimalismo em conjunto com técnicas cientificamente comprovadas, clique no botão abaixo e saiba mais sobre o Programa Quando Menos é Mais.


Programa Quando Menos é Mais

 

Se você achou que este conteúdo teve valor para você e pode ajudar alguém que você conheça, compartilhe-o como demonstração de carinho.

Muito obrigado e até a próxima.


#dopamina #foco

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tempo de leitura: 5 minutos Hoje vamos conversar sobre o livro A Arte de Viver que foi escrito por Sharon Lebell, baseado no primeiro e mais admirável manual do Ocidente em como viver melhor, criado p

Tempo de leitura: 4 minutos Hoje vamos conversar sobre como muda de vida e conseguir conquistar seus objetivos. Muitas pessoas querem mudar de vida, mas não sabem como começar. Nem mesmo o que tem que