• Roberto Kirizawa

Passos Simples para a Liberdade Financeira

Tempo de leitura: 7 minutos


Quando não se tem dinheiro, ele se torna fonte de preocupação, frustração e raiva. Ele consome sua vida e tornasse a lente pela qual você passa a ver o mundo. Nossos pensamentos e atitudes passam a girar em torno desse assunto. Aliás, o que mais fazemos é se preocupar sobre esse assunto. A cabeça não para de pensar sobre as contas e dívidas que se tem para pagar. É a conta de água, a conta de luz, a conta de gás, o condomínio, o aluguel, a escola das crianças…

Ah, tem a alimentação também, não podemos ficar sem comer, certo?

Tudo isso faz com que a gente se sinta mais oprimido do que nunca.

Agora, imagine se conseguíssemos em algum momento da vida não precisar pensar mais em dinheiro. Parece ser uma utopia, algo inatingível. Mas existe uma receita para isso. Não é fácil, mas é possível. Quer saber como? Então vamos lá.

Crie uma reserva de emergência

Separe, de todo dinheiro que receber, um percentual para se tornar a sua reserva de emergência. Eu recomendo que seja entre 10 a 30 por cento. Isso vai variar de acordo com o apetite que você está para criar sua liberdade financeira. E também de acordo com suas condições financeiras no momento.

Quando usar a reserva de emergência

Só use ela em situações críticas. Como é o caso de ficar desempregado, bater o carro e o seguro não cobrir tudo, algum problema de saúde inesperado, ou algo do tipo. Lembre-se: esse dinheiro só deve ser usado em casos de emergência. Não é para usar-lo para ir na balada, usar em viagens, ou com presentes. No momento em que passamos por uma situação inesperada e precisamos de dinheiro, ao invés de pedir emprestado para algum familiar ou usar o cheque especial ou até mesmo com cartão de crédito é a hora de usar a reserva de emergência.

Como é bom ter sua reserva de emergência

O melhor de se ter a reserva de emergência é a sensação libertadora que ela nos fornece. Mesmo não sendo para usá-la quando quiser, só de saber que caso tenha algum imprevisto estamos amparados, já faz com que a gente fique mais confortável. Assim, podemos focar no trabalho e ter noites de sono melhores. Eu recomendo montar sua reserva de emergência até que ela chegue ao valor de conseguir bancar seu custo de vida por seis meses.

Não tenha dívidas / caso tiver, pague-as

A maioria das pessoas encaram as dívidas como sendo algo normal na vida. O que era para ser uma exceção acabou virando uma regra. O grande problema é que as dívidas, em geral, possuem uma taxa de juros absurda. Para você ter ideia, quando a gente paga o valor mínimo do cartão de crédito está apenas pagando juros. O valor da dívida com o cartão continua o mesmo. Às vezes, dependendo do caso, até aumenta para o mês seguinte. Um dos grandes problemas de se ter dívidas é que elas fazem com que a renda diminua consideravelmente. A partir do momento em que a gente adquire uma dívida, uma parte do ganho mensal já não é mais nosso. E não podemos mais contar com a mesma quantidade de dinheiro como antes. O grande detalhe é que a maioria das pessoas não percebem isso, ou seja, apesar da dívida ter diminuído sua renda mensal, continua gastando como antes, como se nada tivesse acontecido. E nessa hora é como colocar a corda no pescoço, e depois puxar.

Qual dívida pagar primeiro

Quando temos dívidas e precisamos escolher quais delas devemos pagar primeiramente, existem duas possibilidades de pensamento: Primeiro, quitar as que têm maiores juros, dessa forma irá economizar dinheiro no montante total até quitar suas dívidas. Ou primeiramente pagar as que tem menor valor. Dessa forma existe a motivação que acontece ao ver as dívidas sendo exterminadas uma uma mais rapidamente e constatar que está no caminho certo para alcançar a liberdade financeira. Porém, no montante total, o valor pago acaba sendo mais do que na primeira opção citada.

Comece a criar patrimônio para atingir a liberdade financeira

Esse é o tipo de coisa que a gente sempre acha que é muito cedo para pensar. Até que num determinado momento da vida se arrepende e acha que devia ter começado antes. É durante a criação do patrimônio que devemos pensar no valor que devemos juntar para nossa liberdade financeira. Resumindo, a melhor data para começar a juntar este dinheiro é ontem. O ideal é, sempre que receber dinheiro separar uma parte para sua criação do patrimônio. Sabe aqueles 10 a 30 por cento que eu comentei da reserva de emergência? Então, após conseguir montá-la, a gente tem que continuar separando este dinheiro sempre que tiver alguma renda e então, agora passar a montar o patrimônio. O patrimônio pode ser administrado de diversas formas. Desde aplicar em fundos, tesouro direto, ações, imóveis ou outros investimentos. Lembre-se, juntando pouco todo mês, com auxílio do juros compostos, em alguns anos o patrimônio terá um tamanho considerável. O juros compostos podem ser vilão quando estamos endividados, mas pode ser o herói quando estamos juntando dinheiro. Quando a investimos sabiamente o dinheiro para a formação do patrimônio é que estamos fazendo o dinheiro trabalhar para gente. Só que temos que entender que para ganhar este jogo necessitamos ter consistência que é como se preparar para uma maratona, não uma corrida de 100 metros. Ou seja, é coisa que vamos fazendo ao longo do tempo. Não conseguimos montar um patrimônio do dia para a noite. Outra coisas importante, é saber que para investir no mercado de ações deve se ter em mente que vai se ganhar no longo prazo. Não adianta investir hoje querendo resgatar o dinheiro com os ganhos amanhã. Se pensar desse jeito provavelmente só vai perder dinheiro.

Estes são alguns dos conceitos que acredito, que se você conseguir utilizar na sua vida, conseguirá ter uma vida mais leve. Sem ter que ficar pensando tanto e se preocupando com dinheiro.

Pesquisando, percebi que as pessoas que se tornaram milionárias não eram aquelas que conseguiram fazer grandes volumes de dinheiro. Mas sim aquelas que sabiam muito bem como lidar com dinheiro que tinham. O fato é que para as pessoas que seguem o estilo de vida minimalista esses conceitos se tornam naturais. E se não, conseguem se ajustar facilmente, para começar a utilizá-los qualquer momento.

Este foi um dos motivos que adotei o minimalismo como ferramenta para conseguir conquistar minha liberdade financeira.

Sei que a receita que acabei de passar, apesar de ser simples, exige esforço, tempo e dedicação. Portanto, a melhor forma de conseguirmos chegar onde queremos é através do conhecimento. Apenas conhecendo quais são os caminhos a serem percorridos é que conseguiremos chegar em menor tempo e com mais tranquilidade.

 

Programa Quando Menos é Mais

Caso você tenha interesse de obter todos estes benefícios, utilizando os conceitos do minimalismo em conjunto com técnicas cientificamente comprovadas, clique no botão abaixo e saiba mais sobre o Programa Quando Menos é Mais.


Programa Quando Menos é Mais

 

Se você achou que este conteúdo teve valor para você e pode ajudar alguém que você conheça, compartilhe-o como demonstração de carinho.

Muito obrigado e até a próxima.


#liberdadefinanceira

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tempo de leitura: 4 minutos No livro Do Mil ao Milhão, escrito por Thiago Nigro podemos identificar qual é o seu pensamento estratégico para conseguirmos alcançar 1 milhão de reais, na prática. Sim, e

Tempo de leitura: 12 minutos Ao longo da vida a gente vai acumulando hábitos de consumo que não são os melhores, pensando financeiramente, e jogam nosso dinheiro no lixo. Porém, como o próprio nome di