• Roberto Kirizawa

Minimalista Também Consome

Tempo de leitura: 5 minutos


Não é porque uma pessoa é minimalista que ela não pode consumir nada. Sei que parece ser um pouco controverso ao falar dessa forma, mas deixa-me explicar. A pessoa minimalista é uma pessoa como outra qualquer. A diferença é que ela não se deixa levar pelo consumismo. Mas como todo mundo: também tem a necessidade de se vestir, de se alimentar e ter as devidas ferramentas para executar seu trabalho.

O que pensam do minimalista

O senso comum imagina que o minimalista não pode ter mais que 3 camisetas, 1 caça e 1 par de calçados. Só que não existe o certo e o errado para este caso. O que existe é a real necessidade de cada um.

Cada minimalista tem sua própria necessidade

Recentemente assisti o vídeo de um produtor de conteúdo chamado Matt D’Avella. Ele foi o diretor que gravou o documentário Minimalismo que está disponível na Netflix. Não à toa, ele é um minimalista. No vídeo ele mostra as roupas que possui e a quantidade (https://youtu.be/DSHsIOIhjJY). E foi atacado por ter mostrado que tinha 24 camisetas. Só que como eu mesmo já disse: o que importa é a real necessidade de cada um. Depois ele até criou outro vídeo explicando o motivo de ter estas 24 camisetas (https://youtu.be/8BADhRmu4Cw):

1 camiseta por dia, portanto em uma semana seria 7; 1 camiseta por treino na academia, que ele frequenta 5 dias na semana; o que já dariam 12 camisetas;

Só tem o grande detalhe, que ele encaixou em sua rotina, para lavar as roupas a cada 2 semanas.

Logo, 12 camisetas multiplicado por 2, dariam as 24 camisetas que ele possui.

Alguns podem falar que ele poderia lavar as camisetas 1 vez por semana, e desta forma poderia ter apenas 12 camisetas. Mas o fato, é que é ele que deve estipular a rotina dele. E se para ele funciona melhor desta forma, tudo bem!

Não seja radical

Temos que tomar cuidado com o radicalismo que normalmente toma conta de tudo e de todos. Ou é 8 ou é 80, mas nem tanto ao céu, nem tanto à terra, né…

A gente tem que entender que o minimalismo é uma ferramenta que possui conceitos que devem ser seguidos. Mas não é rígido a ponto de determinar como a pessoa tem que viver e a quantidade de roupa que ela pode ter. Antes de mais nada, quando se procura ter um estilo de vida minimalista, está se procurando por uma vida com mais significado. Uma vida mais leve e com a perspectiva de alcançar seus sonhos.

O que temos que entender

O que temos que entender é que coisas são apenas coisas. Elas devem nos servir e não o contrário. Podemos ter; de acordo com nossa necessidade e a funcionalidade que algo trará para nossas vidas. Por exemplo, nos últimos tempos em que ainda morava no Brasil, optei por não ter carro. Tomei essa decisão porque me mudei para próximo do meu trabalho e tinha tudo próximo de casa. Gastava aproximadamente 30 minutos a pé para ir trabalhar. Além de economizar, fazia bem para a saúde. Agora, uma mãe que tem que levar seus filhos para escola não conseguiria abrir mão de ter carro. Ou até mesmo quem utiliza o carro como ferramenta de trabalho.

Da mesma forma, podem achar que o minimalista não precisa ter computador. Basta ter o smartphone. Só que se a pessoa é um escritor ou colunista? Digitar um livro ou artigo no tecladinho do smartphone, com uma tela pequena ninguém merece, né. Pior ainda se for um arquiteto, engenheiro ou editor de vídeos. Com certeza terá que ter um equipamento com alto poder de processamento gráfico.

Recentemente fui questionado por ter adquirido uma câmera de ação, Gopro, para gravar meus vídeos. Comprei-a pois minha antiga câmera tinha sido furtada. Me foi dito que por ser minimalista deveria utilizar o celular. Mas o fato é que antes de comprar eu já tinha feito as perguntas básicas:

  1. Eu realmente preciso disto?

  2. Existe algo que eu tenha que possa atender minha necessidade?

E neste momento, ainda antes de comprar a Gopro e pensei que talvez o celular pudesse ser uma opção. Então fui fazer o teste. Gravei um vlog inteiro com meu celular.

Infelizmente tive que descartar todas as gravações.
  1. A imagem ficou tremida enquanto eu andava, por não ter estabilização;

  2. Só aparecia meu rosto e a paisagem atrás de mim deixava de aparecer, devido ao ângulo de abertura da lente;

  3. O áudio ficou horrível pelo fato de estar andando por ruas com certo movimento de carros;

  4. E a bateria acabou me deixando na mão, antes de terminar as gravações.

Então, após este teste, percebi que realmente precisava adquirir uma nova câmera.

Uma coisa que ainda temos dificuldades para entender é que não é porque compramos algo que somos consumistas.

 

Programa Quando Menos é Mais

Caso você tenha interesse de obter todos estes benefícios, utilizando os conceitos do minimalismo em conjunto com técnicas cientificamente comprovadas, clique no botão abaixo e saiba mais sobre o Programa Quando Menos é Mais.


Programa Quando Menos é Mais

 

Se você achou que este conteúdo teve valor para você e pode ajudar alguém que você conheça, compartilhe-o como demonstração de carinho.

Muito obrigado e até a próxima.


#minimalista

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo