• Roberto Kirizawa

MINIMALISMO NÃO É DESTRALHAR

Tempo de leitura: 6 minutos



Quando falamos em minimalismo, a primeira coisa que a maioria das pessoas logo pensam é destralhar a casa e o guarda roupas.

Por isso mesmo, é desta forma que muito ingressam no minimalismo.

Só que algum tempo depois de realizar o destralhe, tudo volta ao normal de antes.

Ou seja, tanto a casa como o guarda roupas voltar a ficar aquela zona novamente.

Você sabe qual é o problema disso?

Pois então, é exatamente sobre este assunto que iremos conversar hoje.

Não basta destralhar no minimalismo

Uma das grandes reclamações, que eu recebo e também percebo, das pessoas que começam o estilo de vida minimalista é que após algum tempo realizado o destralhe, tudo voltou como era antes.

E o pior, o destralhe gerou tanto trabalho, que a pessoa nem pensa em tentar fazer novamente.

Por isso, acaba achando que o estilo de vida minimalista não é para ela.

O problema

O grande problema é que antes de realizar o destralhe, deve acontecer a mudança de mentalidade.

A mentalidade é a chave para o sucesso.

Porque as pessoas pensam assim

Eu até entendo porque as pessoas pensam desse jeito.

A mídia, como sempre, pode tanto ajudar como atrapalhar na hora das pessoas formarem suas opinões.

E com programas de sucesso como:

  1. Ordem na casa com Marie Kondo;

  2. Acumuladores compulsivos;

  3. Etc.

Fez com que as pessoas entendessem que o grande problema era acumular coisas.

Então bastava destralhar a casa e todos os ambientes, que o problema estava resolvido.

A mídia cria programas que gera engajamento.

Porém ter engajamento não é certeza de ser coisa boa.

E também acho que o programa de TV quer criar algo que dê rapidamente o impacto visual, para atiçar o público.

Só que dessa forma traz um pensamento muito raso para a questão.

Tudo volta ao normal

Não adianta destralhar toda a casa e depois ir ao shopping e começar a comprar tudo de novo.

Quando as pessoas vêem que agora tem espaço na casa, pensam que podem comprar para ocupá-los.

Ledo engano…

Com isso, as pessoas começam a se frustar.

Acontece a mesma coisa de quem faz dieta para emagrecer.

No começo vê um resultado e se empolga.

Porém, passado um tempo, já está comendo igual a antigamente e o peso volta acompanhado de mais alguns quilinhos.

Mentalidade no minimalismo

Você nunca conseguirá ser minimalista se não mudar sua forma de consumir e comprar coisas.

É necessário entender que o destralhe é apenas um dos passos.

O bacana é que com o destralhe, conseguimos ter motivação visual.

Porém, isto é apenas a ponta do iceberg.

O que é importante no minimalismo

O importante é buscar o porquê de você quer esta mudança em sua vida.

É justamente este porquê, que lhe dará forças para continuar enquanto o estilo de vida minimalista ainda não for um hábito para você.

O motivo varia de pessoa para pessoa.

Pode ser:

  1. Administrar melhor o dinheiro;

  2. Ter uma casa mais limpa e organizada;

  3. Conseguir mais tempo para seu relacionamento;

  4. Cuidar mais da sua saúde;

  5. Passar a dar mais atenção para seus hobbies;

  6. Viajar mais.

Caminho das pedras para o minimalismo

Não existe fórmula perfeita.

Mas existe um caminho que muitos já fizeram e conseguiram fazer dar certo.

É por isso que eu criei o Programa Quando Menos é Mais.

Neste curso eu abordo vários aspectos da vida, de forma que se possa trabalhar a base mental de forma holística.

Isto acontece porque para ter o estilo de vida minimalista é interessante repensar vários segmentos da sua vida.

Além de que é importante saber:

  1. Quais são seus objetivos;

  2. O que quer mudar na sua vida;

  3. O que você já faz, e pode melhorar;

  4. Como pode chegar no ponto que deseja.

O poder do hábito

É exatamente como foi dito no livro O Poder do Hábito.

A mudança de um hábito pode acarretar a mudança de outros hábitos em cadeia.

Mas isso só acontecerá quando a pessoa em questão estiver comprometida em mudar de vida.

O exemplo dado no livro é bem interessante.

Fala sobre uma mulher que estava no fundo do poço.

Ela estava:

  1. Sem dinheiro;

  2. Desempregada;

  3. Obesa;

  4. Divorciada;

  5. Era fumante;

  6. Bebia constantemente;

  7. Comia muito mal.

Quando resolveu se dedicar ao objetivo de fazer uma trilha no meio do deserto, começou a treinar corrida.

Então, notou que se realmente quisesse cumprir este objetivo, teria que parar de fumar, beber e comer mal, para conseguir melhorar na corrida.

Assim, ela emagreceu e sua auto-estima foi lá pra cima.

Passou e se cuidar mais, se vestir melhor, conseguiu um emprego e recebeu várias promoções.

Comprou sua casa própria, entrou em um novo relacionamento e sua vida transformou-se.

Como foi possível esta façanha

E tudo começou com a criação do hábito angular de começar a correr.

Mas não foi meramente ter começado a correr.

O principal motivo do sucesso desta moça foi que ela primeiramente estabeleceu um objetivo maior, que era fazer a trilha no deserto.

A corrida foi apenas o primeiro passo necessário para alcançar o seu objetivo.

Com o primeiro passo dado, os próximos hábitos começaram a entrar em sua rotina gradativamente, conforme ia percebendo a necessidade.

E isso aconteceu porque ela tinha um objetivo maior, e para conseguir cumpri-lo era necessário realizar mais coisas além de meramente praticar corrida.

Conclusão

Da mesma forma, utilizando esta analogia, podemos pensar em quem está querendo ter uma vida minimalista.

Se você pensar que apenas destralhando sua casa, tudo estará resolvido, estará começando com o pé esquerdo.

Sua mentalidade tem que estar focada em um objetivo muito maior.

E só assim será possível dar o primeiro passo, podendo naturalmente ser impulsionado para o próximo, e para o próximo, até alcançar o seu objetivo.

Se você achou que este conteúdo teve valor para você e pode ajudar alguém que você conheça, compartilhe-o como demonstração de carinho.

Muito obrigado e até a próxima.


#destralhar #destralhe #minimalismo

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo