• Roberto Kirizawa

Minimalismo e destralhe não são a mesma coisa

Tempo de leitura: 3 minutos


Para muitos, destralhar acabou virando sinônimo de minimalismo. Até porque, é o que mais vemos nas redes sociais. Se procurar por minimalismo na internet a maior parte dos resultados estarão mostrando conteúdos relacionados ao destralhe. Seja do ambiente de casa, do trabalho ou do próprio guarda roupas.

Minimalismo não é só isso

Mas isso é apenas o começo do processo para se ter o estilo de vida minimalista. Um dos conceitos do minimalismo é simplificar a vida e aprender a viver com menos. Ou seja, entender o que é essencial. Só que grande parte das pessoas param nisso. Apenas realizam o destralhe dos seus ambientes e não seguem adiante. Não que seja ruim destralhar. Porém, deve-se entender que este é apenas uma das atividades de um processo bem mais longo.

O quê o minimalismo e o destralhe tem em comum

Destralhar pode ser terapeutico. Libera espaço e nos liberta das coisas que não precisamos. O que o estilo de vida minimalista e o destralhe tem em comum é que ambos tem como finalidade remover o excesso. Entretanto, enquanto o destralhe foca apenas nas coisas físicas, o minimalismo é muito mais amplo. Focando muito além dos pertences físicos, mas também na mentalidade de como implementar o conceito em todas as áreas da vida.

Em que tomar cuidado

Quando se está muito focado nas coisas físicas e pertences como:

  1. O que compramos;

  2. O que mantemos;

  3. E o que descartamos ou desapegamos; O foco está muito voltado apenas nas coisas e não na mudança do estilo de vida, o que não deveria acontecer. Deve-se, na verdade, aproveitar o conceito utilizado para destralhar os ambientes como forma de extrapolar apenas a ação de desapegar de pertences. Assim, será possível começar a ajustar outras áreas da vida com o mesmo conceito.

Como obter bons resultados

Quando as pessoas conseguem ultrapassar esta barreira, percebe-se grandes mudanças em áreas da vida como:

  1. Finanças: elas passam a entender em que realmente é necessário gastar e deixam de lado diversos gastos supérfluos, conseguindo ajustar suas economias e passam de endividados para investidores;

  2. Na produtividade: elas começam a fazer escolhas melhores em que vão focar seus esforços e no que não vale a pena, que não vai acrescentar em seus resultados;

  3. Na saúde: elas tendem a dormir melhor, por carregar menos stress do trabalho e das finanças, passam a dar mais atenção em fazer alguma atividade física, pois começam a ter mais tempo e dinheiro para isso;

  4. No relacionamento: dão mais atenção para seu parceiro e família, tendo em vista que começa a ter mais tempo livre e começam a compreender o que é importante em suas vidas;

  5. No autodesenvolvimento: passam a ler mais, buscar mais conhecimento em diversas áreas, fazer cursos e treinamentos e se aprimorar em áreas que tem prazer em atuar, tendo como consequência, muitas vezes a criação de novos negócios de empreendimento.

 

Programa Quando Menos é Mais

Caso você tenha interesse de obter estes benefícios, utilizando em conjunto com os conceitos do minimalismo, técnicas cientificamente comprovadas, clique no botão abaixo e saiba mais.


Programa Quando Menos é Mais

 

Se você achou que este conteúdo teve valor para você e pode ajudar alguém que você conheça, compartilhe-o como demonstração de carinho.

Muito obrigado e até a próxima.


#destralhe #minimalismo

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo