• Roberto Kirizawa

BBB – Antes de assistir pense nisso

Tempo de leitura: 5 minutos


Estamos em mais uma temporada do tão famoso reality show Big Brother Brasil, ou apenas BBB como costumam chamar. Mas antes de ficar assistindo o que está acontecendo dentro da casa, você deve pensar em algumas coisas primeiro.

Hábito dos ricos x pobres

Thomas Corley, autor do livro Rich Habits, que seria Hábito dos Ricos em tradução livre realizou uma pesquisa para entender as diferenças entre os hábitos das pessoas ricas e das pobres. O estudo levou 5 anos para que se pudesse identificar as diferenças no cotidiano e no estilo de vida. As pessoas ricas estudadas tinham um patrimônio líquido maior ou igual a U$ 3,2 milhões. Enquanto as pessoas pobres tinham um patrimônio de U$ 5 mil, com uma renda anual média de U$ 35 mil. Ele percebeu uma grande discrepância entre os 2 grupos em relação ao hábito de assistir TV. A maior parte das pessoas ricas (70%) assistem menos de 1 hora por dia. Enquanto o inverso acontece com as pessoas pobres. A minoria delas (23%) é que que assistem pouco à TV.

Não vale a pena assistir o BBB

Apenas 6% das pessoas ricas assistem reality shows. E a grande maioria (78%) das pessoas pobres assistem este tipo de programa. O autor concluiu que as pessoas ricas não assistem TV porque conseguem ser disciplinadas o bastante para utilizar este tempo para fazer algo mais produtivo.

Estudo social através do BBB?

Existe uma parcela de pessoas que levantaram a bandeira de que era interessante assistir o BBB, pois é uma forma de entender a interação interpessoal na sociedade. Mas para quem realmente está interessado neste tipo de estudo, existem tantas pesquisas já criadas, inclusive por pesquisadores de renome. Na década de 70 aconteceu o experimento científico feito pelo antropólogo espanhol-mexicano Santiago Genovetti. Ele é uma referência mundial em antropologia física. Na época ele mandou construir um barco de 12m x 7m e recrutou 10 pessoas para conviverem neste ambiente confinado por 101 dias. Foram selecionados 4 homens e 6 mulheres. O barco não tinha motor nem energia. Era tocado por velas. A ideia era entender por quê as pessoas brigam. Por isso, ele tentou criar conflitos entre os tripulantes. Ele queria constatar se aconteceria o mesmo que acontece com ratos em ambientes confinados. No caso dos ratos, eles ficam violentos e agressivos. Mas para a infelicidade do pesquisador, o grupo em todas as ocasiões conseguiu resolver os conflitos de forma harmoniosa. O que me faz pensar que por sermos seres sociáveis e com capacidade de pensamento, conseguimos resolver os conflitos de forma pacífica, quando queremos.

A verdade sobre o BBB

Mas não é isso que se acaba vendo no reality show BBB. No programa tudo é feito para que se haja o maior número de conflitos possíveis. Desde a escolha dos participantes, até as provas e testes que eles passam. Agora imagine que um parente parente querido, pode ser seu filho, sua filha, seu irmão ou irmã, ou até mesmo seu pai ou sua mãe são selecionados para participar de uma competição. Nesta competição existirão diversas provas:

  1. Terão de conviver com outros integrantes em ambiente confinado;

  2. Estarão constantemente sendo estimulados a entrarem em conflito;

  3. Haverá festas regada a muito álcool para estimular a exposição, se mostrar os pontos fracos e traumas, melhor ainda;

  4. Seu ente querido terá que fazer alianças, mesmo que seja com pessoas que não tenham a mesma índole, para poder se proteger.

o quarto branco do BBB

Há… e tem mais. Pode acontecer de ele ou ela ser punido e ter que ir para o quarto branco. Confinar pessoas em ambiente com luz branca é uma criação das forças armadas de diversos países para ser utilizada como tortura e obter confissões. A privação sensorial extrema e iluminação constante desregula o ciclo circadiano, que é o nosso relógio biológico. Então perde-se a noção entre dia e noite, e consequentemente não se tem mais sono. Sem o sono, o cérebro desregula a produção de hormônios importantes do corpo como é o caso da melatonina. A pessoa começa entrar em estresse absoluto.

O pós programa pode ser mais traumático

Mas isso não é tudo. O maior sofrimento pode acontecer depois que sair do BBB. Pois durante o programa, a pessoa ficou exposta, e acabou mostrando facetas de sua personalidade que na verdade não é ela de verdade, no seu dia a dia. Mas ela será eternamente julgada pelas coisas que fez, ou foi forçada a fazer.

Reality show no Japão

Para você ter ideia, aqui onde eu moro atualmente existe um programa chamado Terrace House. É um reality show onde 6 jovens, 3 homens e 3 mulheres convivem em uma casa por um período de tempo. Mas eles não ficam confinados apenas no espaço da casa. Eles continuam indo para a escola, indo para o trabalho, academia e tudo mais. E infelizmente uma participante da versão 2019-2020 acabou suicidando-se. Ela estava recebendo muitas mensagens de ódio, das pessoas que assistiam o reality show. O Cyberbullying é um aspecto muito preocupante, pois as pessoas acham que podem tudo na internet.

Histórico do BBB no mundo

O BBB já estreiou em 54 países. Cada país com a sua versão. Mas em 36 países ele já foi descontinuado. Só que no Brasil ele ainda continua forte e é a versão mais bem sucedida. Por que será? Será que isso tem a ver com nossa cultura? Depois de ter exposto tudo isso, você ainda ficaria tranquilo em deixar um ente querido participar? Se não, por que continua assistindo?

Pimenta no olho do outro é colírio?

Acho que vale a pena a reflexão.

Se você achou que este conteúdo teve valor para você e pode ajudar alguém que você conheça, compartilhe-o como demonstração de carinho.

Muito obrigado e até a próxima.


#autoconhecimento #autodesenvolvimento #BBB

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tempo de leitura: 5 minutos Hoje vamos conversar sobre o livro A Arte de Viver que foi escrito por Sharon Lebell, baseado no primeiro e mais admirável manual do Ocidente em como viver melhor, criado p

Tempo de leitura: 4 minutos Hoje vamos conversar sobre como muda de vida e conseguir conquistar seus objetivos. Muitas pessoas querem mudar de vida, mas não sabem como começar. Nem mesmo o que tem que